Especialista Tratamento Timidez na Adolescência Fobia Social

 

Timidez na adolescência: jovens sofrem com déficit de habilidades sociais.

Roberta Oliveira

“Meu filho é tímido, mas vai muito bem na escola e não me dá trabalho... É um adolescente muito disciplinado...”

Escutamos muito esse tipo de discurso de pais e professores, mas a timidez (ou retraimento social) pode ser um indício de problemas emocionais e comportamentais em adolescentes.

Jovens tímidos geralmente mantêm relações insuficientes com seus amigos e apresentam um padrão de conduta com carência ou déficit de relações interpessoais e com freqüência evitam ou se esquivam de contatos sociais. Como é um problema que afeta pouco as pessoas ao seu redor, este comportamento acaba sendo banalizado, sem a devida atenção e importância. A timidez é considerada comportamento internalizado, aqueles expressos “para dentro”, como depressão, medo etc.

Ser habilidoso socialmente é fator importante no desenvolvimento humano. Devido à sua importância para a sociedade, no Brasil existem profissionais que estudam o seu funcionamento e tratam as pessoas que sofrem por causa dos seus déficits de habilidades sociais. Infelizmente a timidez na infância ainda é pouco investigada por muitos colegas de profissão.

A ansiedade leve ou moderada e a inibição do desempenho em relações sociais podem estar relacionadas a condições genéticas e de aprendizagem, ficando muito difícil fazer uma separação entre esses dois fatores. Por exemplo, jovens que têm pais tímidos.

O relacionamento social adequado e satisfatório é fundamental para uma vida saudável. Muitos adolescentes tímidos sofrem por apresentar um repertório de habilidades sociais deficitário, que prejudica o seu desenvolvimento cognitivo, podendo ocasionar problemas afetivos e comportamentais.

Entre muitas intervenções com os jovens, uma que se destaca é o treinamento da melhora da assertividade. Um adolescente assertivo é aquele que demonstra os componentes necessários para um comportamento social adequado e conseqüentemente competente. Desenvolver a assertividade é enfrentar situações que envolva algum risco de conseqüências negativas e, quando são manifestadas, não afetem com tanta intensidade a pessoa “tímida”. Ela já estará treinada para administrar o autocontrole dos sentimentos negativos despertados pela ação do outro e não se sentirá tão incapaz diante da situação “conflituosa”. O jovem aprende a expressar de forma apropriada os seus sentimentos com redução de sua ansiedade e conseqüentemente o aumento de sua auto-estima.

É preciso também trabalhar com a família e professores, treinando e entregando materiais com orientações simples de manejo comportamental e registros dos comportamentos dos adolescentes e de seus colegas.

É muito importante a participação dessas pessoas no manejo da timidez do jovem, mas infelizmente muitos terapeutas encontram dificuldades de adesão dessas pessoas nesse tipo de intervenção, já que essa problemática se caracteriza por uma situação de comportamento internalizado, que não afeta diretamente o meio onde o adolescente convive. Os problemas externalizados (impulsividade, agressividade, oposição etc.) têm mais adesão por parte da família e da escola, por afetarem diretamente essas pessoas.

Relacionar-se com companheiros da mesma faixa etária é fundamental para o jovem não correr riscos de apresentar dificuldades emocionais em seu desenvolvimento. A timidez aguda, se não tratada de forma adequada, pode trazer transtornos futuros para os adolescentes e seus familiares.

Palavras-chave: Psicólogos, Psicologia Infantil, Timidez, Jovens, Adolescentes.

MENU

Clique aqui www.insca.com.br e acesse o site oficial da INSCA para obter informações atualizadas.

ogos

 

Psicólogos


Atendimento
Psicológico Online

Artigos
- Depressão: será que eu tenho?
- Quando o estresse é fonte de problemas
- Pais e professores têm dificuldades em encontrar problemas psicológicos nas crianças
Dica de filmes
- Meu pai: Uma lição de vida
- Aos Treze
Dica de Livros
- Felicidade Autêntica
- Tornando a escola legal
 Síndrome do Pânico Transtorno de Pânico Agorafobia